cafe-em-brumado

O Ministério Público Estadual (MP) ajuizou uma ação civil pública contra a empresa Café Catolés, devido a irregularidades identificadas na produção e comercialização de café na região de Brumado. Por meio de um pedido liminar, o órgão solicita que a empresa cesse a venda e fornecimento de café impróprio para consumo, mantendo a decisão até que a qualidade do produto seja comprovada. A iniciativa partiu do promotor de Justiça Alex Bacelar, responsável pela ação, após uma representação feita pela Associação Brasileira da Indústria de Café (Abic). Segundo a Abic, foram detectados índices elevados de impurezas no café torrado e moído produzido pela Café Catolés. Um relatório elaborado pelo Instituto Técnico de Análises de Alimentos (ITAAL) revelou que o produto continha 8,8% de impurezas, como cascas e paus, em desacordo com as normas do Selo de Pureza Abic. Conforme a Instrução Normativa 16/2010, o limite máximo permitido de impurezas, sedimentos e matérias estranhas no café torrado em grão ou moído é de 1,0%, destacou o promotor. A ação visa garantir que o café comercializado esteja de acordo com os padrões de qualidade exigidos, protegendo assim, os consumidores de possíveis danos à saúde. A liminar busca interromper a comercialização do produto até que sejam atestadas suas condições de qualidade.

Confira as últimas notícias

Usamos cookies para melhorar sua experiência em nosso site. Ao navegar, concorda com nossa Política de Privacidade.