conta-de-luz-alta

Moradores do oeste da Bahia estão sentindo o impacto financeiro da onda de calor que atinge a região. Nilza Magalhães, 52 anos, assistente social e residente em Bom Jesus da Lapa, relata um aumento de 48% na conta de luz de sua casa. Em setembro, sua conta era de R$ 438,39, que subiu para R$ 620,47 em outubro, período que coincide com a onda de calor que começou em meados de setembro. As altas temperaturas, que chegaram a 39,8 °C no último domingo (12) na cidade, obrigaram Nilza a modificar seus hábitos. Ela agora utiliza um climatizador durante o dia e o ar condicionado em dois períodos, tarde e noite. Antes da onda de calor, o climatizador não era usado e o ar condicionado funcionava apenas quatro horas por noite. “O climatizador nós ligamos nos dias mais quentes. Já o ar condicionado passa a noite ligado. Apesar disso, ainda acordo indisposta e cansada, com a sensação de que passei à noite em claro”, comentou Nilza. O climatizador em sua casa tem capacidade para 45 litros de água e necessita de reabastecimento duas vezes ao dia. “A gente não aguenta ficar na sala sem o climatizador. Não tem bolso que aguente ficar o dia todo no ar condicionado, por isso optamos pelo climatizador durante o dia”, explicou. Além do aumento nas contas de energia, o impacto também se reflete nas contas de água. Maria Anália Miranda, moradora de Barreiras e professora da Universidade do Estado da Bahia (Uneb), observou um salto no valor da conta de água de sua casa, de R$ 68 em janeiro para R$ 366 em novembro. “Temos a necessidade de ficar molhando o solo, para resfriá-lo, além de molhar as plantas, que ficam secas cada vez mais rápido”, disse Maria Anália. Maria Anália, que possui energia solar em sua residência, não especificou o aumento exato na conta de luz, mas afirmou que o valor dobra se comparado aos meses de inverno com os meses de calor intenso.

Confira as últimas notícias

Usamos cookies para melhorar sua experiência em nosso site. Ao navegar, concorda com nossa Política de Privacidade.